O que é um diagrama de causa e efeito?

08/12/2023 | Santander Universidades

Aristóteles, um dos filósofos mais importantes e influentes da história da humanidade, formulou o princípio da causalidade, no qual afirmava que "tudo que é movido é movido por algo". Em outras palavras, toda causa tem seu efeito. A partir desse princípio, surge a metodologia de análise de processos conhecida como diagrama de causa e efeito, criada por Kaoru Ishikawa em 1943.

Trata-se de uma ferramenta de análise gráfica que permite analisar qualquer processo, com o objetivo de aprimorá-lo e descobrir a origem de possíveis erros para preveni-los. Quer saber exatamente em que consiste o diagrama de causa e efeito e como você pode criar um? Continue lendo.

O que é o diagrama de causa e efeito ou Ishikawa e para que serve?

O diagrama de causa e efeito ou Ishikawa, também conhecido como diagrama de espinha de peixe ou diagrama dos 6M´s, é uma metodologia que permite identificar problemas e visualizar suas possíveis causas para encontrar soluções. Ou seja, seu objetivo é facilitar a compreensão da origem e das causas de um problema para que, a partir dessa informação, seja possível projetar novas soluções.

Efetivamente, a partir de sua representação gráfica, semelhante à espinha de peixe, é possível determinar os fatores que intervêm na execução de um processo e como eles podem ser otimizados.

O diagrama de causa e efeito é muito flexível e pode ser utilizado em qualquer setor, processo ou situação sem a necessidade de ser um grande especialista. Seu uso principal é encontrado na produção industrial, onde é considerado uma das sete ferramentas básicas para o controle de qualidade. Neste sentido, o diagrama é comumente utilizado no design de produto e na prevenção de defeitos de qualidade.

No entanto, o diagrama de causa e efeito pode ser útil para facilitar a comunicação entre os membros de uma equipe, tomar melhores decisões, medir o desempenho de algumas áreas ou aumentar a eficiência de alguns processos, entre outros.

Círculo do diagrama de causa e efeito

Elementos de um diagrama de causa e efeito

O diagrama de causa e efeito ou Ishikawa é composto por várias partes, cada uma com seu próprio significado:

  • Cabeça: na extremidade direita e centralizada na ponta da espinha, é desenhado um círculo ou um triângulo. Aqui é onde se coloca o problema a ser analisado, que também é o “efeito” das “causas”.

  • Espinhas laterais: da espinha central saem as espinhas laterais do peixe. São linhas verticais que formam um ângulo de 70º em relação à espinha central e representam as possíveis causas que podem estar originando o problema principal.

  • Espinhas menores: as espinhas laterais, por sua vez, podem conter espinhas menores. São as causas menores que podem estar provocando uma causa maior.

Através dessa representação gráfica, é possível dividir um problema em várias partes para descobrir suas possíveis causas. Deste modo, a partir dos dados coletados, decisões podem ser tomadas para corrigir erros, otimizar o processo e prevenir outros possíveis problemas.

Quais são os 6M do diagrama de Ishikawa?

Na proposta original do químico japonês Kaoru Ishikawa, são definidas seis categorias ou grupos amplos de causas, conhecidas como as 6M, que podem influenciar um problema:

  1. Método: Refere-se às metodologias, procedimentos ou conjunto de ações empregadas em um processo, assim como políticas, normas, regras de qualidade, leis etc. Dentro desta categoria, podemos encontrar problemas como a falta de padrões ou de documentação adequada e processos ineficientes.

  2. Maquinaria: Outro elemento crucial são as máquinas, equipamentos ou ferramentas utilizadas para realizar as tarefas de um processo, como um computador ou maquinaria industrial. Neste grupo, podem ocorrer problemas como o mau funcionamento ou a manutenção inadequada das máquinas, a falta de capacidade etc.

  3. Mão de obra: Refere-se ao capital humano encarregado de realizar as tarefas. Neste caso, a falta de pessoal, conhecimento, experiência ou atitude, assim como o cansaço, afetam a qualidade do resultado final.

  4. Materiais: Também é necessário considerar a matéria-prima ou consumíveis utilizados para elaborar um produto ou serviço. Nesta categoria, incluem-se aspectos como problemas de fornecimento, defeitos de fabricação etc.

  5. Meio ambiente: Os fatores ambientais externos, como clima, iluminação, qualidade do ar, ruído ou limpeza também podem causar efeitos nos processos. Alguns problemas relacionados ao ambiente incluem condições climáticas extremas ou um espaço restrito ou com pouca iluminação, por exemplo.

  6. Medição: Por último, o problema também pode ser originado pelas ferramentas utilizadas para medir e monitorar o processo. Isso seria o caso de uma imprecisão na medição dos resultados ou a falta de dados relevantes ou de um controle de qualidade.

Esquema mostra como funciona o diagrama de causa e efeito

Como fazer um diagrama de causa e efeito

Desenhar um diagrama de causa e efeito ou Ishikawa é bastante simples e intuitivo: imagine uma grande espinha de peixe com a cabeça orientada para a direita, algo semelhante ao que se vê em alguns desenhos animados. Da espinha principal, que está conectada à cabeça, surgem de quatro a seis espinhas laterais que, por sua vez, podem conter espinhas menores. Assim é como o diagrama de causa e efeito é formado. 

Precisa colocar isso em prática? Explicamos o passo a passo:

  1. Identifique o problema e o represente no diagrama de causa e efeito. Comece desenhando a linha reta horizontal para representar a espinha dorsal do peixe e, à direita, desenhe a cabeça. Dentro dessa figura, não se esqueça de anotar o efeito ou problema que você vai analisar.

  2. Estabeleça as causas e outras causas menores derivadas, pensando nas categorias das 6M. Em seguida, desenhe as espinhas laterais do peixe e anote as causas que estão gerando o problema, identificadas em termos de método, maquinaria, mão de obra, materiais, medição e meio ambiente.

  3. Analise os Resultados: Uma vez que tenha completado o diagrama, é hora de analisá-lo e identificar a causa que é a raiz do problema. Para isso, você pode usar ferramentas como a análise de Pareto. A partir disso, pense em uma solução, aplique-a e faça um acompanhamento para verificar se as ações tomadas tiveram um impacto positivo e se o efeito desapareceu.

Prefere criar o diagrama de causa e efeito em um ambiente digital? Sua popularidade levou ao surgimento de várias ferramentas online que facilitam sua representação gráfica e permitem alcançar um design mais atrativo. Desta forma, basta preencher as caixas correspondentes para passar rapidamente para a fase de análise. Neste sentido, algumas das ferramentas mais populares disponíveis são:

  • Canva: a ferramenta popular de design gráfico oferece uma série de modelos que permitem elaborar um diagrama de causa e efeito ou Ishikawa de maneira simples e rápida.

  • LucidChart: É um aplicativo mais específico focado na diagramação inteligente. Também oferece grande variedade de planilhas de causa e efeito, principalmente para uso profissional.

  • Creately: É uma ferramenta de design gráfico voltada para o ambiente de trabalho que oferece modelos editáveis, com formas e designs profissionais, para elaborar o diagrama de forma efetiva.

Vantagens do diagrama de causa e efeito

O diagrama de causa e efeito oferece uma série de vantagens, destacando-se entre elas:

  • Ajuda na melhoria dos processos: o diagrama de Ishikawa permite analisar e corrigir processos sem a necessidade de ser um especialista em design ou em análise gráfica.

  • Fornece visibilidade para problemas complexos: permite dividir um grande problema em partes menores, reduzindo a complexidade e fazendo com que sua origem seja encontrada mais facilmente.

  • Previne erros: o diagrama de causa e efeito não apenas serve para revisar e corrigir erros, mas também pode ser usado com o objetivo de otimizar processos e aumentar sua eficiência de forma constante.

  • É de fácil aplicação: é um diagrama fácil de entender e de elaborar, sendo adequado até mesmo para profissionais com pouca experiência. Além disso, existem ferramentas digitais que facilitam ainda mais a tarefa.

  • Favorece o trabalho em equipe: o diagrama de Ishikawa pode ser elaborado de forma colaborativa para trazer diferentes pontos de vista e enriquecer o processo.

  • Permite inovar: é uma boa maneira de fomentar a inovação, a criatividade e a análise de problemas "out of the box", com o objetivo de encontrar soluções efetivas ou distintas das aplicadas anteriormente.

Como você pode ver, o diagrama de causa e efeito é uma metodologia muito prática para a resolução de problemas e a melhoria contínua em vários aspectos, como processos ou desempenho individual e coletivo. Além disso, demonstra a capacidade de um profissional para analisar e visualizar as causas subjacentes de um problema, algo fundamental para tomar decisões informadas e desenvolver soluções eficazes.

Em última análise, essas são competências-chave na gestão da qualidade, pensamento analítico e na capacidade de liderar iniciativas de melhoria, que são habilidades muito valorizadas pelas empresas, pois contribuem para identificar e abordar de forma eficaz todos os desafios para, assim, alcançar o sucesso da organização.

No contexto atual, onde a concorrência é intensa e o mercado está em constante evolução, a capacidade de liderar iniciativas de melhoria e a habilidade na gestão da qualidade são pilares fundamentais em um mundo que demanda adaptabilidade e resiliência. Isso é essencial para enfrentar os desafios da quarta revolução industrial e promover a empregabilidade.

Consciente desta necessidade e para ajudar as pessoas a progredirem, superar os desafios da quarta revolução industrial e crescer de forma inclusiva e sustentável, o Banco Santander está comprometido com três conceitos-chave para promover a empregabilidade: aprendizagem contínua, reciclagem profissional e formação complementar. Para isso, conta com o portal Santander Open Academy, um programa global, único e pioneiro.

Se você busca continuar crescendo, tanto pessoal quanto profissionalmente, consulte o portal de Santander Open Academy, que reúne centenas de oportunidades de formação em instituições internacionais de prestígio. Você poderá acessar treinamentos em tecnologia, idiomas, estudos, pesquisa, soft skills, estágios e liderança feminina, que te ajudarão a melhorar sua empregabilidade e redirecionar sua carreira profissional.

 

Quer se tornar um lifelong learner e continuar aprendendo para aumentar suas oportunidades de trabalho? O portal Santander Open Academy oferece muitas opções para que você possa atingir seus objetivos. Consulte a plataforma e lembre-se, você pode se inscrever em quantos programas quiser. Aproveite a oportunidade!

Más posts interesantes que leer...