Etapas do Design Thinking: uma metodologia inovadora para resolver problemas complexos e alcançar o sucesso

22/08/2023 | Santander Universidades

"Não procure clientes para seus produtos: encontre produtos para seus clientes". Tal conselho, dado por Seth Godin, um dos maiores teóricos de marketing do século XXI, serve de premissa para empresas como a Apple.

Nesse sentido, não é de se surpreender que, segundo o American Customer Satisfaction Index (ACSI), a gigante da tecnologia tenha voltado ao topo do ranking de satisfação do cliente, com uma pontuação de 81 sobre 100, para smartphones. Desde que Steve Jobs introduziu a metodologia Design Thinking na companhia em 1997, a Apple se concentra em resolver as necessidades de seus usuários e ter empatia com seus clientes, utilizando a inovação e a criatividade como meios para atingir tal objetivo. 

Quer saber quais são as etapas do Design Thinking e por que ele se tornou uma das metodologias de criação de produtos mais importantes dos últimos tempos? Continue a leitura para descobrir mais sobre essa filosofia inovadora.

Etapas do Design Thinking: em que consiste essa metodologia?

Tim Brown, CEO da IDEO, uma das maiores empresas de design e inovação do mundo, define o Design Thinking como "uma abordagem centrada no ser humano e que busca a inovação, tendo como base o conjunto de ferramentas do designer para integrar as necessidades das pessoas, as possibilidades da tecnologia e os requisitos para o sucesso dos negócios". Em outras palavras, é uma ferramenta que visa oferecer soluções efetivas, baseadas na inovação, na criatividade e nas necessidades das pessoas.

O Design Thinking tem suas origens na década de 1970. Naquela época, a tecnologia e as necessidades dos clientes começaram a mudar, de modo que algumas marcas buscaram uma maneira de criar uma oferta capaz de resolver efetivamente a demanda de seus consumidores. No entanto, foi nos últimos anos que essa metodologia ganhou relevância, a ponto de grandes empresas como Google, Apple, IBM, Zara e Nike aplicarem as etapas do Design Thinking na criação de seus produtos. Isso porque o método permite às organizações se colocarem no lugar dos clientes e, ao mesmo tempo, desenvolverem suas estratégias de negócios.

Etapas do Design Thinking: conheça o passo a passo da sua aplicação

O Design Thinking é uma metodologia centrada na resolução de problemas complexos, que surgem durante o processo de elaboração de um produto ou serviço, a partir de diferentes ideias. Para encontrar essas soluções, existem 5 etapas do Design Thinking, as quais podem ser colocadas em prática de maneira sequencial ou não linear. 

Etapa 1: empatia

The Empathy Business, uma empresa de consultoria britânica, elabora anualmente um ranking das organizações mais empáticas do mundo. A partir desses estudos, é possível identificar uma correlação positiva entre empatia corporativa, crescimento, receita e produtividade


Tendo em conta sua importância cada vez maior no mundo dos negócios, a empatia é trabalhada durante a primeira etapa do Design Thinking. Nessa fase, são coletadas todas as informações necessárias para iniciar o projeto e entender profundamente as necessidades dos clientes. Dessa forma, é possível criar uma solução capaz de resolver todos os seus problemas. 

Etapa 2: definição

Entre as etapas do Design Thinking, a segunda diz respeito à análise das informações obtidas durante a fase de empatia. O objetivo é eliminar os dados não relevantes e selecionar os aspectos que agregam valor e que permitem estabelecer um ponto de partida para as soluções que serão criadas. Para isso, é preciso uma abordagem criativa e inovadora.

Etapa 3: ideação

terceira etapa é a ideação. Nesse momento, os designers de produtos fazem um brainstorming com o objetivo de encontrar soluções diferentes, inovadoras e até mesmo inusitadas, deixando de lado as ideias mais óbvias. Para isso, utiliza-se a técnica do pensamento expansivo (como também é conhecido o processo de brainstorming) para que surja o maior número possível de ideias.

Etapa 4: protótipo

quarta etapa do Design Thinking é a prototipagem: o momento em que as ideias ganham corpo. Nesse estágio, são feitos os protótipos das soluções mais interessantes, tanto para verificar sua viabilidade quanto para identificar a necessidade de melhorias e alterações para a versão final do produto. Isso possibilita descartar ideias que não são factíveis ou que não resolvem as necessidades dos usuários da maneira esperada.

Guy Kawasaki, especialista no setor de novas tecnologias e ex-Chief Evangelist da Apple, afirma que "o primeiro passo para qualquer empreendedor deve ser construir um protótipo do produto ou serviço que se tem em mente. Se você for capaz de construir um protótipo e de apresentá-lo com sucesso, talvez nunca precise criar um plano de negócios".

Etapa 5: testes

Por fim, a metodologia do Design Thinking prevê uma etapa de testes em que alguns usuários podem pôr à prova a solução em desenvolvimento. Considera-se tal fase um momento crucial para identificar possíveis melhorias, falhas ou deficiências. A solução escolhida será desenvolvida até que se chegue ao produto final.

etapas-do-design-thinking

Por que as 5 etapas do Design Thinking ajudam a resolver problemas complexos?

Ao criar soluções a partir das necessidades do cliente, e não o oposto, as etapas do Design Thinking permitem que os problemas sejam encarados de uma forma diferente: explorando soluções alternativas que buscam ir muito além do óbvio. Algumas características dessa metodologia são: 

  • Pensamento divergente: o Design Thinking incentiva as pessoas a pensar de forma diferente para encontrar soluções diferenciadas. Para isso, são usadas técnicas criativas durante a fase de ideação.
  • Human Centric Innovation (HCI): essa ferramenta procura encontrar soluções para problemas reais, colocando as pessoas e suas necessidades no centro de todo o processo de criação.
  • Trabalho em equipe: essa metodologia aposta no trabalho colaborativo com o objetivo de que todos os participantes contribuam com sua experiência, conhecimentos e pontos de vista.
  • Espaço de trabalho amplo: no Design Thinking, também é importante trabalhar em um espaço amplo, iluminado e inspirador, pois isso facilita o surgimento de ideias inovadoras.
  • Atitude: a atitude é fundamental em todas as etapas do Design Thinking. Essa metodologia nos convida a ser curiosos e observadores e a deixar preconceitos de lado, pois até mesmo pequenos detalhes podem ajudar a encontrar a solução que estamos buscando.
  • Criatividade: marcadores, folhas de papel, desenhos, lápis de cor etc. A criatividade e o uso de elementos altamente visuais fazem parte do Design Thinking.
  • Validação do produto: as fases de protótipos e testes permitem validar a solução criada, além de realizar melhorias e ajustar falhas antes de lançá-la ao mercado. 

As etapas do Design Thinking são cada vez mais aplicadas em distintos setores, especialmente na área tecnológica, pois possibilitam aproveitar todo o potencial das novas tecnologias e resolver problemas complexos por meio da inovação e da criatividade. Atualmente, é fundamental explorar as diferentes metodologias de trabalho que permitem contornar situações de alta complexidade. Como vimos neste artigo, um grande exemplo é o Design Thinking.

Nesse sentido, tendo em vista a importância de seguir inovando em todos os setores — como, por exemplo, na educação, em que a inovação é uma ação que transforma e gera mudanças profundas, impulsiona o conhecimento, inspira avanços, fomenta novas linguagens, comunicação e pesquisa —, a sociedade atual demanda educadores que se antecipem a essas novas realidades e que estejam sempre um passo à frente das tendências pedagógicas. Por isso, é essencial que os profissionais da educação estejam em constante desenvolvimento e formação para se tornarem verdadeiros agentes de transformação.

Você é professor com experiência em ensino superior e quer melhorar suas competências pedagógicas? O Banco Santander, em parceria com a Harvard Business Publishing Education, lança 300 vagas para o  Curso Santander | Essential Teaching Techniques com o objetivo de promover boas práticas universitárias, trabalho colaborativo e networking dentro da comunidade global de professores para implementar métodos de ensino exemplares.

Com duração de dez semanas, o curso é 100% online e permitirá que você coloque em prática as melhores metodologias e estratégias de ensino para melhorar a experiência de aprendizagem de seus alunos, inspirando-os a se destacarem.

Tudo isso será realizado por meio da metodologia de “sala de aula invertida” e do trabalho em equipes internacionais e multidisciplinares, sempre com o apoio de mentores. Além disso, o curso está disponível em espanhol, inglês ou português do Brasil. Não há custo para os beneficiários nem é necessário ser cliente do Banco Santander.

 

Você quer ser um agente de mudança em sua comunidade docente? Inscreva-se agora na convocatória do Curso Santander | Essential Teaching Techniques.

Ver mais posts interessantes...